Recentemente surgiram inúmeros casos de pessoas que faleceram de motivos diversos mas que estão entrando nas estatísticas do coronavírus. O caso da vez é o de um borracheiro que teria falecido após um acidente onde um pneu estourou enquanto ele trabalhava.

Um conhecido postou um vídeo com a imagem do atestado de óbito e um áudio contando o fato, veja:

Após a divulgação desse vídeo apareceram várias pessoas postando uma mensagem que dizia:

“Gente! O primo do porteiro aqui do prédio morreu pq foi trocar o pneu do caminhão e o pneu estourou no rosto dele. Receberam o atestado de óbito como se fosse COVID19. Eles estão indignados.”

Rapidamente o deputado Alexandre Frota fez uma postagem com 4 prints de 4 perfis que postaram a mesma coisa.

Inclusive uma das postagens continha a foto do atestado de óbito do falecido.

Ocorre que aparentemente uma pessoa da mesma cidade do falecido ficou intrigado com o vídeo que teria recebido pelo WhatsApp e foi até o endereço da família, que consta no atestado para tentar confirmar a veracidade do ocorrido. Eis o que ele encontrou ao chegar lá:

A família do falecido realmente indignada e dizendo que sim, o atestado de óbito do borracheiro Reginaldo Jacinto da Silva teria falecido num acidente e que sim, constava no atestado de óbito morte por COVID19.

Aparentemente seria ponto final e se provaria que governadores, nesse caso o de Pernambuco, estaria inflando os números de caso de mortes por COVID19. Mas eis que entram em cena aqueles que chamamos de São Tomé, que s´p acreditam vendo.

Um seguidor me questionou sobre uma data que estaria no atestado, mas a data que ele viu foi a data de expedição do RG do falecido. Outro questionou que o CRM da médica que deu a causa da morte não seria dela. E sem que ninguém falasse nada, fui também conferir o número do selo digital que fica na parte de baixo do documento comprovando a veracidade, essa consulta foi feita no portal do Tribunal de Justiça de Pernambuco, nesse link.

Imagem mostrando a data do óbito, 23/03/2020 e o CRM da médica que atestou o óbito.
Imagen mostrando que o CRM pertence sim a uma Ingrid Rodrigues. Essa informação é pública.

Na próxima imagem, um print feito da página do Tribunal de Justiça de Pernambuco mostrando a pesquisa e a veracidade do atestado de óbito.

A Folha de São Paulo entrou em ação fazendo um artigo só para assinantes, claro, dizendo que a notícia seria “Fake News”. Eu postei o vídeo e abaixo o atestado de óbito porém, mais que depressa o Twitter me exigiu que apagasse a postagem sob risco de ter minha conta bloqueada.

Mas qual o motivo de exigir que eu apague uma prova de que a Folha estava mentindo? Por que é exatamente isso que ela faz ao dizer que uma notícia que prova que governadores estão inflando número é mentira.

E aliás a Folha, em seu artigo, não consegue, em nenhum momento, provar que toda a história é verdade, usa somente a falácia de que como alguns perfis postaram a mesma coisa isso significa que é mentira.

Essas são as provas de que sim, estão mentindo para você que quer trabalhar e levar seu sustento para casa, mentem para causar o medo e te manipular. Mas enquanto eu força tiver, tentarei de todas as formas mostrar a verdade!

Se acaso você tiver algo que desminta qualquer prova aqui divulgada, sinta-se a vontade para compartilhar comigo e eu, mais que depressa me desculparei com todos, caso não tenha, sinto lhe informar, você esta sendo enganado!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here