30.2 C
V Redonda
24/02/24
HomeEditorialO Ministério da Saúde NÃO recomenda o uso de eletroconvulsoterapia

O Ministério da Saúde NÃO recomenda o uso de eletroconvulsoterapia

Date:

Related stories

O Facebook e a lucrativa indústria de “verificação” de fatos

Duas das universidades mais poderosas da Austrália e um gigante tecnológico multibilionário estão liderando campanhas para silenciar a cobertura noticiosa do Voice para influenciar o referendo, escreve Jack Houghton.

Violações sexuais contra crianças crescem quase 70% no Brasil

Sinais sutis como agressividade, falta de apetite e isolamento...

‘Fiquei apavorada’: ex-nadadora da NCAA diz ter sido agredida fisicamente por ativista transgênero

Riley Gaines, ex-nadadora da National Collegiate Athletic Association (NCAA)...
spot_imgspot_img

O Estadão publicou hoje uma matéria com o seguinte título:

“O MINISTÉRIO DA SAÚDE RECOMENDA CHOQUE ELÉTRICO PARA TRATAR AUTISTAS DE ‘COMPORTAMENTO AGRESSIVO'”

Porém precisamos prestar atenção aos detalhes. O primeiro esta no subtítulo da própria matéria e diz “comissão que autoriza procedimentos no SUS afirma…”. Nesse ponto já dá pra ver que NÃO FOI o Ministério da Saúde que recomendou e sim uma entidade criada em 2011 para autorizar procedimentos tecnológicos pelo SUS.

Mas mesmo assim você pode ficar ainda na dúvida e tender a acreditar que foi sim o Ministério da Saúde quem indicou e você tem esse direito. Porém veja na imagem abaixo que o plenário, ou seja, quem tem voto cativo na entidade são outras entidades e o único do MS é o DGITIS – Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias e Inovação em Saúde.

Mais uma coisa que comprova que o assunto não foi tratado pelo atual Ministério da Saúde esta no próprio site da CONITEC. Ao realizar uma simples pesquisa com o termo “eletroconvulsoterapia” no site da entidade só aparece UM RESULTADO, veja abaixo:

A matéria do Estadão cita uma proposta publicada no dia 16 de dezembro, hoje, tratando do assunto e cita nominalmente a CONITEC.

Ao buscar a tal proposta você chega nessa pagina do site e já no título esta descrito que a PROPOSTA esta em fase de CONSULTA PÚBLICA e não cita em nenhum momento o Ministério da Saúde.

O documento de 105 páginas que cita a eletroconvulsoterapia é uma “proposta” de alternativas de tratamentos, ou seja, não esta em uso nem tem indicação do Ministério da Saúde.

A consulta pública estará ativa até o dia 27 de dezembro e pode ser acessada clicando AQUI. Mande esse artigo à todos que são contra a aprovação e sequer que haja a mínima chance de usar tal método em nossas crianças!!

Subscribe

- Never miss a story with notifications

- Gain full access to our premium content

- Browse free from up to 5 devices at once

Latest stories

spot_img

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here